Sua entrevista pessoal no CGVS/CGRA

Durante sua entrevista pessoal, você explica porque deixou seu país de origem.

A entrevista no CGVS/CGRA é uma etapa muito importante no procedimento de proteção internacional. Durante essa entrevista, você explica em detalhes por que saiu do seu país e por que está solicitando proteção na Bélgica. É importante falar a verdade!

Como se preparar bem para essa entrevista?

Nossa orientação é que você se prepare para a entrevista, com a ajuda do seu advogado, seu assistente social ou de uma associação. Prepare todos os documentos que possam ser usados como prova.

As instalações do CGVS/CGRA
CGVS/CGRA

Como a entrevista é realizada?

Dirija-se à sede do CGVS/CGRA em Bruxelas no dia indicado no seu convite. Você explica a um funcionário do CGVS/CGRA, da maneira mais detalhada possível, por que fugiu do seu país e quais são seus temores. Você pode falar livremente, pois essa entrevista permanecerá confidencial. Você pode trazer seu advogado (é o que recomendamos!) ou uma pessoa de confiança.

Durante a entrevista, o funcionário do CGVS/CGRA fará perguntas. A entrevista pode durar várias horas.

Você deve dizer a verdade e fazer tudo o que puder para comprovar sua identidade, sua origem e sua viagem à Bélgica.

Se você tiver fornecido informações falsas em qualquer etapa do procedimento (por exemplo, sobre sua identidade ou origem), ainda há tempo para dizer a verdade durante a entrevista. É para o seu próprio bem.

Se tiver recebido documentos que ainda não constam do seu arquivo, você poderá encaminhá-los ao CGVS/CGRA ou levá-los para a entrevista.

Se necessário, um intérprete traduzirá as perguntas do funcionário do CGVS/CGRA. Ele ou ela também traduzirá suas respostas. O intérprete é nomeado pelo CGVS/CGRA e deve respeitar o sigilo dessa entrevista.

CGVS/CGRA
Entrevista

Se, após essa entrevista, o CGVS/CGRA precisar ouvi-lo(a) novamente, você receberá um novo convite.

O funcionário do CGVS/CGRA fará anotações enquanto você estiver falando. Você tem o direito de receber uma cópia dessas anotações, de verificar com seu advogado se essas anotações estão corretas e de enviar suas observações ao CGVS/CGRA.

Não hesite em consultar seu advogado.